09/12/2009

IDEOLOGIA

Lendo meus e-mails agora à tarde, eu me deparo com esse texto, mandado por uma amiga muito querida. Na mesma hora eu pensei: "vou colocar no blog"... Esse texto é o relato de uma psicóloga, mas que EU, euzinha mesmo, me apossei com unhas e dentes porque fala EXATAMENTE tudo o que eu pensei ao assistir o filme... Confesso que nunca fui lá muito fã do Cazuza, mas gostava das músicas, sim! Ouvia, sim! Cantava, sim! Mas depois de assistir o filme, fiquei tão enojada que risquei essa criatura do mapa! Pelo menos, do MEU mapa... Achei muito interessante o que ela escreveu e repasso aqui para que possamos refletir um pouquinho, principalmente aos amigos blogueiros que tem ou terão filhos... Diz o e-mail:
"CAZUZA, O FILME
Esse cidadão dizia: "Meus heróis morreram de overdose". E era aplaudido.
É ... DEVIAM COLOCAR o texto abaixo NUM OUTDOOR LÁ NA PRAÇA CAZUZA, NO LEBLON(uma psicóloga escreveu, corajosamente algumas verdades)...
Fui ver o filme Cazuza há alguns dias e me deparei com uma coisa estarrecedora: as pessoas estão cultivando ídolos errados... Como podemos cultivar um ídolo como Cazuza? Concordo que suas letras são muito tocantes, mas reverenciar um marginal como ele, é, no mínimo, inadmissível. Marginal, sim, pois Cazuza foi uma pessoa que viveu à margem da sociedade, pelo menos de uma sociedade que buscamos construir, com educação, respeito, conceitos de certo e errado. No filme, vi um rapaz mimado, irresponsável, banal, que nunca precisou trabalhar para conseguir nada, já tinha tudo nas mãos. A mãe vivia para satisfazer as suas vontades e loucuras. O pai preferiu se afastar das suas responsabilidades e deixou a vida correr solta. São esses pais que devemos ter como exemplo? Cazuza só começou a gravar porque o pai era diretor de uma grande gravadora! Existem vários talentos que não são revelados por falta de oportunidade ou por não terem algum contato. Cazuza era um traficante, como sua mãe revela no livro, admitiu que ele trouxe drogas da Inglaterra, um verdadeiro criminoso. Concordo com o juiz Siro Darlan quando ele diz que a única diferença entre Cazuza e Fernandinho Beira-Mar é que um nasceu na zona sul e outro não. Fiquei horrorizada com o culto que fizeram a esse rapaz, principalmente por minha filha adolescente ter visto o filme. Precisei conversar muito para que ela não começasse a acreditar que usar drogas, participar de bacanais, beber até cair e outras coisas, fossem certas. Já que foi isso mostrado pelo filme. Por que não são feitos filmes de pessoas realmente importantes que tenham algo de bom para essa juventude já tão transviada? Será que ser correto não dá Ibope, não rende bilheteria? Devo lembrar aos pais que a morte de Cazuza foi consequência da educação errônea a que foi submetido. Será que Cazuza teria morrido do mesmo jeito se tivesse tido pais que dissesem NÃO quando necessário? Lembrem-se, dizer NÃO é a prova mais difícil de amor. Não deixem seus filhos à revelia para que não precisem se arrepender mais tarde. A principal função dos pais é educar. Não se preocupem em ser 'amigo' de seus filhos. Eduque-os e mais tarde eles verão que você foi à pessoa que mais os amou e foi, é, e sempre será, o seu melhor amigo, pois amigo não diz SIM sempre".

Educação É a base de tudo, gente!!!!

P.S. quero aproveitar e deixar aqui registrado que eu fiquei, sim, estarrecida com o filme(que vida mais suja , gente. Chamá-lo de promíscuo é apelido, né?), mas eu AMEI a interpretação do Daniel Oliveira: ele foi perfeito!! Deixo aqui minhas sinceras e admiradas babações de fã porque acho que ele foi realmente sensacional interpretando Cazuza... Parabéns, Daniel!!

(alguma coisa boa esse filme tinha que deixar, né?)

4 comentários:

Diva Moms disse...

Oi Dione,
Eu já tinha recebido esse e-mail e concordo plenamente.
Como posso chamar de herói alguém tão covarde, e que tipo de mãe vê a destruição de seu próprio filho sem fazer nada? Sim, pq ela não fez nada...não educou, não impôs limites, não cortou as asinhas quando deveriam ser cortadas...Atitudes mais severas desde de muito cedo, ou mesmo imposição de limites poderiam ter "salvado" essa vida. Realmente a vida o levou.
Eu quero um futuro para o meu filho, luto por isso desde cedo, os limites do meu filho são muitos, todos que acho necessários para que ele saiba qual é o seu lugar nesse mundo e não fique solto a própria sorte.
AMEI A MATÉRIA!

Bjinhos,

Than disse...

Com certeza, a educação é a base de td na vida!

Eu adorei o filme, assisti umas 2500000 vezes...kkkkkkkk

Amigaaaa...te adoro!

Bjooos

Sanzinha disse...

Eu já havia recebido esse e-mail.
É bem forte mesmo a opinião da psicóloga, mas sou obrigada a concordar também. Uma coisa é não se conformar com a sociedade e fazer algo pra mudar, mas de maneira limpa. Ele, por sua vez, inconformado, optou por sujar mais ainda. A única coisa que fez foi prejudicar a si mesmo.

Mas tenho que dizer que eu AMO "Exagerado"

Valéria Martins disse...

Acho que uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. O Cazuza era um artista maravilhoso, um poeta sensível, um cantor visceral. Deixou um legado de músicas divinas que todo mundo dança até hoje.

Mas eu não preciso tomar drogas para gostar do Cazuza. E não preciso deixar de valorizá-lo por ele ser gay ou usar drogas.

Esse tipo de julgamento é perigoso. Porque o mundo dá voltas e, de repente, estamos - nós mesmo ou as pessoas que amamos - no lugar daqueles que julgamos.

Beijos, boa semana!